11 de set de 2014

Primários Lição 11: Ajudando os irmãos na igreja.

Primários
Lição 11: Ajudando os irmãos na igreja.
Texto Bíblico: Atos 4:32-37
Objetivo:Conscientizar os alunos de que ajudar ao próximo é uma     obrigação cristã.
versículo para memorizar: “ Devemos fazer o bem a todos, especialmente aos que fazem parte da nossa família na fé.” Gálatas 6:10
Frase do dia: Devemos ajudar os irmãos da Igreja



Lição 11 - Ajudando os irmãos da igreja
Texto Bíblico: Atos 4.32-37



A paz do Senhor Jesus, queridos professores da Classe de Primários!


CRESCENDO NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO

“3.3.3. A Comunidade Batizada com o Espírito Pratica a Comunhão (4.32-¬5.16). Depois da narrativa da primeira prisão dos apóstolos, Lucas volta a atenção uma vez mais para a confrontação interna da igreja (cf. At 2.42-47). A unidade dos crentes e o ato de compartilharem os bens com os necessitados mostram a presença con¬tínua do Espírito Santo. Esta passagem tam¬bém apresenta Barnabé. O espírito de ge¬nerosidade deste homem coloca-o em contraste com a conduta de Ananias e Safira.
A exposição da intenção enganosa do ca¬sal, a comunhão que os discípulos têm e a proclamação poderosa da ressurreição de Cristo são os resultados da presença do Espírito. A generosidade de Barnabé e o incidente de Ananias e Safira também mostram ouso adequado e inadequado das possessões.

3.3.3.1. Propriedades São Vendidas e Distribuídas (4.32-35). Unidade e ge¬nerosidade prevalecem entre os crentes (cf. a expressão "um o coração e a alma"). No pensamento judaico, o "coração" (kardia) não é apenas o centro dos afe¬tos, mas também do pensamento inte¬lectual, e a "alma" (psyche) é o lugar da vida e da vontade. Uma distinção rigo¬rosa e pronta entre as duas palavras é impossível. Assim, "o coração e a alma" se referem ao centro da personalidade, que determina a conduta da pessoa. Apesar de serem numerosos, os crentes permanecem unidos em propósito e devoção ao Senhor.

Não há divisão, cisma e dis¬sensão entre eles. Estes crentes também estão dispostos a usar algumas de suas possessões para aliviar as necessidades dos outros. O amor fraterno criado pelo Espírito Santo os incita a considerar o bem¬ estar dos necessitados entre eles.

É significativo que a palavra "poder" seja descrita como "grande" (v. 33), indicando a manifestação do poder de Deus em sinais e prodígios.

Milagres acompanham e confirmam a pregação dos apóstolos so¬bre a ressurreição de Cristo, da mesma maneira que milagres acompanharam o ministério de Jesus. Ao mesmo tempo, Deus derra¬ma "abundante graça" na comunidade de crentes (v. 33), significando que são rega¬dos com ricas bênçãos. A evidência da graça divina é vista na pregação e no alívio das necessidades materiais dos pobres.

O ideal do Antigo Testamento de que não devesse haver pobres entre os israe¬litas (Dt 15.4) é percebido na Igreja pela generosidade dos membros com suas riquezas. À medida que as necessidades surgem de tempo em tempo, aqueles que estão em melhor situação vendem a pro-priedade e trazem a renda aos apóstolos. A expressão "depositavam aos pés dos apóstolos" (v. 35; At 5.2) indica que os apóstolos estão sentados e, talvez, ensinando. A frase também revela autorida¬de, pois à medida que o dinheiro lhes é entregue, eles servem de autoridades administrativas para sua distribuição a cada pessoa de acordo com a necessidade.” (Comentário Bíblico Pentecostal. CPAD.p.649)

SAIBA MAIS

“Nos primeiros anos de sua presidência, Calvin Coolidge acordou certa manhã em seu quarto de hotel e encontrou um ladrão mexendo nas suas roupas.

Coolidge pediu ao ladrão para não levar a corrente do seu relógio porque ela continha um berloque gravado que ele queria guardar. Envolvendo o ladrão com um tom tranqüilo, Coolidge descobriu que o bandido era um estudante de faculdade, que não tinha dinheiro para pagar a sua conta no hotel ou comprar um bilhete de trem para voltar ao campus. Coolidge emprestou ao jovem trinta e dois dólares de sua carteira - da qual ele havia convencido o confuso e suposto bandido a desistir - e o aconselhou a partir tão livremente quanto havia entrado, de forma que ele pudesse evitar o Serviço Secreto! No final, o empréstimo foi até pago.

Misericórdia é alguém não receber a punição que merece. O que a justiça exige, a misericórdia perdoa. Uma das marcas do caráter de Deus consiste no fato de que algumas vezes Ele lhe dá uma outra chance para resolver as coisas. Uma razão para fazer isso é que Ele o ama, mas a outra é que você possa gerar frutos de misericórdia estendendo-a aos outros.

Os grandes desafios de amar o seu próximo como a si mesmo e de amar seu inimigo dependem da misericórdia. Antes de debater se alguém merece ou não misericórdia, considere se mais pode ser feito executando a justiça ou estendendo a compaixão.

Quando você trabalha com jovens, a misericórdia é quase uma exigência diária enquanto você pondera, ensinando o que é certo e deixando que os seus alunos aprendam com os seus próprios erros. Às vezes você precisa mostrar às crianças que os fracassos não são o veredicto final sobre eles como pessoas. A situação de cada criança precisa ser tratada individualmente enquanto você confia que Deus lhe dará o discernimento.” (Graça diária para professores. CPAD. p.278).


ATIVIDADES

Vivemos numa época de grandes mobilizações de solidariedade em favor do próximo, no entanto, nunca fomos tão egocêntricos e individualistas. Muitas vezes aqueles que estão perto de nós encontram-se carentes de algo: alimento, roupa e até mesmo carinho.

Por isso, convido você, professor, a planejar alguma atividade solidária que envolva todos os alunos. Quem sabe visitar alguma comunidade carente próxima à igreja, a fim de levar para as crianças brinquedos, que poderiam ser confeccionados por seus alunos utilizando sucata.

Para valorizar o presente, sugira às crianças que façam um embrulho bem bonito e colorido. Além disso, seria legal também elaborar um cartão contendo uma mensagem e um desenho produzido por elas


Nenhum comentário:

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...