26 de mai de 2014

Pré-Adolescentes Lição 09: A ovelha pedida

Pré-Adolescentes
Lição 09: A ovelha pedida
Texto bíblico: Lucas 15:1-7.
Objetivos da Lição: Compreender que Jesus é o bom Pastor; Explicar o significado da parábola.
Versículo visualizado: ‘ eu sou o Bom Pastor; o bom pastor dá a vida pelas ovelhas.”
Palavra do dia: Pastor






Lição 09 - A ovelha perdida

Texto Bíblico:  Lucas 15.1-7

Esta passagem do Evangelho de Lucas começa com a oposição dos fariseus, como a seção anterior (14.1). Aqui, os fariseus reclamam sobre a amizade de Jesus com “pecadores”, como já tinham feito anteriormente (5.30;7.39). Lucas colocou juntas três parábolas que falam da alegria de Deus com o arrependimento de um único pecador.
O relacionamento de Jesus com os pecadores, aos olhos dos fariseus, já foi documentado (5.30; 7.34). Os publicanos eram judeus que trabalhavam para o Império Romano, cobrando dos seus compatriotas as taxas para Roma. Ainda assim, estas pessoas chegavam-se a ele... para o ouvir. Estas eram exatamente as pessoas que Jesus tinha vindo alcançar – aquelas que precisavam de ajuda. Naquela cultura, sentar-se e participar de uma refeição com uma pessoa mostrava certo grau de identificação de boas-vindas. Se Jesus estava comendo com estas pessoas horríveis, então Ele era culpado por ter uma má associação. Os fariseus nem sequer se aproximavam de tais pessoas, nem mesmo para ensinar-lhes a lei ou mostrar-lhes Deus.
Os líderes religiosos deviam pensar em si mesmos como pastores (na verdade, como líderes da nação, eles deviam estar servindo como pastores do povo de Deus). Cada pastor tem cem ovelhas – um número típico para um rebanho médio de ovelhas. Os pastores contavam suas ovelhas todas as noites, pois as ovelhas se desgarravam e se perdiam facilmente. Quando este pastor contou, lhe faltava uma ovelha. Jesus usou a preocupação do pastor com cada ovelha para propor a pergunta: “Que homem dentre vós... não deixa... as noventa e nove e não vai após a perdida até... achá - la?” A resposta era óbvia para os ouvintes – qualquer pastor preocupado faria isto. Ele procuraria, encontraria a ovelha perdida, e a levaria de volta ao rebanho e se alegraria.
O amor de Deus por cada indivíduo é tão grande que ele procura cada um e se alegra quando ele é “encontrado”. Jesus se relacionava com pecadores porque queria trazer à ovelha perdida – as pessoas consideradas já sem esperança – as Boas Novas do Reino de Deus

Texto extraído do: Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. p.420-421, CPAD

Professor, explique aos alunos que para nós cristãos, esta parábola da ovelha perdida não é somente um convite para alegrar-se com Deus pelo arrependimento de pecadores, mas também um lembrete para seguir o exemplo de Jesus na busca pelos perdidos. Seguindo esse lembrete, organize um evangelismo com toda a classe para o próximo final de semana.


Juniores LIÇÃO 9 – JOÃO, UM HERÓI MUITO ESQUISITO

Juniores
LIÇÃO 9 – JOÃO, UM HERÓI MUITO ESQUISITO
Texto Bíblico: Mateus 3.1-11
 Objetivo:Enfatizar que o crente deve ser diferente e fazer a diferença. Incentivar a busca do batismo com o Espírito Santo.
Exercitando a Memória
“Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês..”  Romanos 12.2
 Aplicação da Lição
Deus tem um propósito para cada um de nós, assim como teve com João Batista. Assim como João mostrou Jesus às pessoas, Deus quer que façamos assim também. Podemos usar nossa vida, nossos lábios, nossa maneira de vestir-se e comportar-se para que demonstremos que Jesus vive em nosso coração. Vamos fazer isso? Com certeza Deus muito se alegrará, pois nos mostraremos pessoas diferentes
 Paulo ao escrever aos romanos os aconselhou à não se moldar aos padrões do mundo. Os cristão que soa prudentes não agem com comportamento mundano, não fala palavrões ou é irresponsável com as atitudes com as pessoas e com o meio ambiente, como a maioria das pessoas são. 
Deixe Deus transformar você em uma nova pessoa, através de Jesus Cristo. Peça a Deus o batismo com o espírito Santo, ele nos ajuda a ser fortalecidos de maneira a evitar a maioria dos costumes mundanos que presenciamos em nosso cotidiano. Somente o espírito santo nos reeduca e redireciona nossa mente de maneira a se renovar segundo os preceitos da Palavra de Deus





Lição 09 - João, um herói muito esquisito

Texto Bíblico: Mateus 3.1-11

DICAS PARA A PRODUÇÃO DE CENÁRIOS
Aproveitando que, na semana passada, oferecemos dicas para a confecção de fantoches, hoje daremos uma preciosa dica para a produção de cenários.
O cenário é de grande importância para a apresentação. Tenha o cuidado de providenciar um cenário adequado e que ilustre bem a história. E lembre-se: cenário pequeno com boneco muito grande ficará desconfortável. São necessários bonecos e cenários grandes para ambientes onde a criança estará distante da apresentação, como trabalhos realizados ao ar livre, em pátios de escolas ou igrejas muito grandes. Isto evita que as crianças se dispersem, ou que tenham de sair dos seus lugares para ouvir e ver melhor. Veja a maneira mais confortável para que o apresentador não se canse ao manipular o fantoche; tendo dificuldade de manter os braços por muito tempo no alto, o apresentador deve apoiar os braços.
Escolha a melhor maneira de fazer a entrada dos fantoches, lembrando que deve ser de maneira que chame a atenção: poderão entrar alegres, cantarolando, chorando, admirados com o lugar, ou comentando sobre o tempo. Os personagens podem também estar juntos desenvolvendo algum diálogo atrás da cortina antes e aparecerem, ou cada um de um lado do cenário, encontrando-se no meio e cumprimentando o público. Pode-se gritar o nome do personagem para que ele apareça e/ou pedir a ajuda das crianças para chamá-lo; dependerá também do texto que será utilizado — seja criativo.

(Adaptado do livro: Fantoches, Alegria da garotada, vol 2. CPAD. p.13-14)


Primários LIÇÃO 9 – JESUS, O AMIGO DOS RICOS

Primários
LIÇÃO 9 – JESUS, O AMIGO  DOS RICOS
 Texto Bíblico: Mateus 19.16-26
 Objetivo : Esclarecer que Jesus é a melhor riqueza que podemos ler.
 Frase do dia... MEU AMIGO JESUS ESTÁ EM PRIMEIRO LUGAR
 Memória em Ação: “Ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer.” Mt 6.33 







Lição 09 - Jesus, o amigo dos ricos
Texto Bíblico: Mateus 19.16-26

DICAS PARA A PRODUÇÃO DE CENÁRIOS

Aproveitando que, na semana passada, oferecemos dicas para a confecção de fantoches, hoje daremos uma preciosa dica para a produção de cenários.
O cenário é de grande importância para a apresentação. Tenha o cuidado de providenciar um cenário adequado e que ilustre bem a história. E lembre-se: cenário pequeno com boneco muito grande ficará desconfortável. São necessários bonecos e cenários grandes para ambientes onde a criança estará distante da apresentação, como trabalhos realizados ao ar livre, em pátios de escolas ou igrejas muito grandes. Isto evita que as crianças se dispersem, ou que tenham de sair dos seus lugares para ouvir e ver melhor. Veja a maneira mais confortável para que o apresentador não se canse ao manipular o fantoche; tendo dificuldade de manter os braços por muito tempo no alto, o apresentador deve apoiar os braços.
Escolha a melhor maneira de fazer a entrada dos fantoches, lembrando que deve ser de maneira que chame a atenção: poderão entrar alegres, cantarolando, chorando, admirados com o lugar, ou comentando sobre o tempo. Os personagens podem também estar juntos desenvolvendo algum diálogo atrás da cortina antes e aparecerem, ou cada um de um lado do cenário, encontrando-se no meio e cumprimentando o público. Pode-se gritar o nome do personagem para que ele apareça e/ou pedir a ajuda das crianças para chamá-lo; dependerá também do texto que será utilizado — seja criativo.

(Adaptado do livro: Fantoches, Alegria da garotada, vol 2. CPAD. p.13-14)


Jardim de Infância - LIÇÃO 9 : ENTREGO MINHA OFERTA NA IGREJA

Jardim de Infância 

LIÇÃO 9  : ENTREGO MINHA OFERTA NA IGREJA

Texto Bíblico:Êxodo 19:10-25; 23:14-19.
Objetivo da lição: Ensinar as crianças a trazerem a suas ofertas e dízimos a casa de Deus.
Versículo visualizado: “...Tragam todos os seus dízimos aos depósitos do templo”. Malaquias 3.10
Palavra do dia: DÌZIMOS E OFERTA







Lição 09 - Entrego a minha oferta na igreja
Texto Bíblico: Êxodo 19.10-25;23.14-19

 I - De professor para professor
· Prezado professor, neste domingo, o objetivo da lição é ensinar a criança a trazer suas ofertas para casa de Deus.
· As palavras-chave deste domingo é “dízimo e oferta”. No decorrer da aula diga: “Eu entrego a minha oferta na igreja”.

II – Saiba Mais
A atitude de dar além ou aquém do que Deus orienta pode ser filha do mero “sugestionismo” de uma mente apressada ou apenas disposta a dar, mas não basicamente um fruto da fé. Por incrível que possa parecer, dar muito nem sempre resulta em bênção ou é resultado de expressão de fé.
Um exemplo clássico é a história dos ricaços fazendo ofertas de grandes quantias no gazofilácio do templo diante de Jesus. Quando comparou as grandes ofertas dos ricos com a aparentemente insignificante oferta de duas moedas quase sem valor da viúva, Jesus afirmou que “esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro; porque todos ali depositaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, depositou tudo o que tinha, todo o seu sustento”. Jesus observava a multidão lançando o dinheiro. Isso indica que Jesus observava muito mais do que aparentemente visível; Ele via a atitude do coração, o como as pessoas ofertavam, se como expressão da alegria da fé de um coração confiante no cuidado absoluto de Deus, ou se como expressão de avareza de dar apenas a sobra.
É bom observar que Jesus não sacralizou o fato de a viúva ofertar “um pouco” nem condenou os ricos por darem “muito”. O que importava aqui era a atitude decorrente da fé,o como as pessoas ofertavam. Dar menos do que a fé orienta pode ser apenas resultado de pão-durismo; dar mais pode apenas ser exibicionismo. Essas atitudes têm a sua justa recompensa, que pode ser tanto o desprezo quanto o louvor dos homens, mas com certeza não será alvo das bênçãos vindas da parte de Deus.
(Texto extraído do livro: As Chaves do Sucesso Financeiro, CPAD)

III – Conversando com Professor
As crianças do Jardim têm muita energia. E toda essa energia sem controle é desastrosa, como bem explica o pastor Antônio Gilberto. Explica ele que, “a eletricidade,quando domada nas subestações, torna-se apropriada ao consumo doméstico, mas nas linhas de alta tensão é letal e destruidora”. O mesmo princípio aplica-se à energia física acumulada nas crianças. Se ela for bem canalizada e distribuída  em atividades diversas, ao longo da aula, resultará  em melhor aproveitamento do ensino por parte do aluno, e satisfação sem estresse para o professor


Maternal - Lição 09: Jesus ama a todos.

Maternal 
Lição 09: Jesus ama a todos.
Texto Bíblico: Lucas 19:1-10.
Objetivo: Que a criança aprenda que é amada por Deus, apesar de nem sempre evitar o pecado.
Para guardar no coração: “o Filho do homem veio buscar e salvar quem está perdido.” Lucas 19.10
Palavra chave: “AMOR”




Lição 09 - Jesus ama a todos
Texto Bíblico: Lucas 19.1-10

I - De professor para professor
Prezado professor, neste domingo as crianças aprenderão que Papai do céu as ama apesar de serem pecadoras.

A palavra-chave que trabalharemos neste domingo é “Amor”. No decorrer da aula repita a frase: “Papai do céu me ama”.

II – Para refletir
Em sua abordagem quanto à vida, Zaqueu compensava sua pequena estatura elevando-se de outras formas. Ele era baixo demais para ser notado, mas como um rico cobrador de impostos obtinha muita atenção. Ele chegou tarde à parada e não podia ver sobre a multidão; então, subiu a uma árvore. Zaqueu queria ver Jesus, mas repentinamente achou-se objeto de observação.
Enquanto você passa pelo mundo hoje, lembre-se de Zaqueu sob dois aspectos. Primeiro, você se identifica com a frustração dele por não ser notado? Às vezes, pergunta se Jesus teria lhe dado uma olhada caso você estivesse no lugar de Zaqueu? Lembre-se que Jesus conhecia o coração e o nome dele. Jesus conhece você também, e nunca deixaria de vê-lo na multidão. Segundo, quantas pessoas continuarão ignoradas por você hoje? Faça um esforço especial para notar tanto quanto você possa – use os nomes das pessoas; fale com as que não esperam por isso; mostre um interesse pela vida dos outros.
(Texto extraído do livro: 365 Lições de Vida Extraídas de Personagens da Bíblia, CPAD)

III – Regras prática para professores
Para o professor, é indispensável conhecer não somente a sua matéria, mas também seu campo de aplicação, que é o aluno. O semeador deve conhecer o terreno onde vai semear e como lançar a semente. O aluno é a matéria prima da Escola Dominical. O professor que deseja alcançar o êxito no ensino, deve estudar não só a lição, mas também o aluno. Conhecendo melhor o aluno isoladamente e no grupo, o professor planejará e aplicará o ensino adequadamente.

(Extraído do livro: Manual da Escola Dominical, CPAD)

Boa ideia!
Reproduza para cada criança a figueira utilizada na seção “Para guardar no coração”.


19 de mai de 2014

Pré-Adolescentes - Lição 08: Rico, porém tolo.

Pré-Adolescentes
Lição 08: Rico, porém tolo.
Texto Bíblico: Lucas 12:16-21.
Objetivos da Lição: Saber que a avareza é pecado; Compreender que Deus não pode ser excluído de nossas vidas.
Versículo visualizado: “ Não se deixe dominar pelo dinheiro e fiquem satisfeitos com o que vocês têm...” Hebreus 13.5
Palavra do dia: Avareza









Lição 08 - Rico, porém tolo

Texto Bíblico:  Lucas 12.16-21

Na parábola do Homem Rico, Jesus explicou que a vida consiste de mais coisas, além de riqueza e possessões.
Um homem rico que tinha tido um ano produtivo em sua plantação, derrubou seus celeiros e construiu outros maiores para que pudesse recolher tudo. Ainda que não houvesse nada errado com a alegria do homem com a sua colheita ou a construção para poder armazená-lo, o seu problema básico foi concentrar-se completamente em sua riqueza e no seu próprio aproveitamento. Em grego, esta história inclui a palavra “meu” (também no feminino ou no plural) quatro vezes, e a palavra “eu” oito vezes. Como revela a história, a alegria do homem vinha de suas coisas – mas coisas que não duram eternamente.
O homem rico não estava preocupado com mais ninguém, nem mesmo com Deus. Sem nenhuma perspectiva eterna, a vida do homem estava completamente concentrada nas coisas temporais. O seu objetivo era descansar, comer, beber e folgar, o que revela o seu desejo de simples auto-indulgência. Ele pensava que com os celeiros armazenando montanhas de riquezas para o futuro, ele tinha tudo completamente sob seu controle. O homem rico tinha cometido um erro fatal: havia se esquecido de colocar Deus no centro da sua vida. Preocupado exclusivamente consigo mesmo, quando chegasse a hora de estar diante de Deus, este homem não seria nada além de louco.
A moral da história: o tolo passa todo o seu tempo acumulando tesouros terreno, mas não é rico para com Deus. A questão decisiva é para quem estão sendo guardados. Se para si mesmo, então os males da riqueza sobrevirão. Ser rico para com Deus significa usar a riqueza que Ele provê para satisfazer as suas prioridades. As pessoas que são “ricas” desta maneira amam a Deus e são cheias de uma paixão por obedecer e servir a Ele e a dar a outros. Sendo assim, os “tesouros” que uma pessoa pode ganhar nesta vida podem ser alegremente colocados à disposição de Deus, para que sejam utilizados em benefício do aumento de seu Reino.

Comentário  do Novo Testamento Aplicação Pessoal, pp 421-422. Rio de Janeiro, CPAD


Juniores - LIÇÃO 8 – JEREMIAS, UM PROFETA CHORÃO OU UM HERÓI?

Juniores
LIÇÃO 8 – JEREMIAS, UM PROFETA CHORÃO OU UM HERÓI?
 Texto Bíblico: Jeremias 38.1-13
 Objetivo: Comprovar que os servos de Deus podem passar por sofrimentos e angústias.
Exercitando a Memória
“Felizes as pessoas que choram, pois Deus as consolará.” Mateus  5.4
Aplicação da Lição
Jeremias o  grande profeta da esperança,  tinha uma imensa força interior para continuar nutrindo esperança apesar das adversidades. Apesar de ter a desagradável tarefa de anunciar o castigo e a destruição certa de Jerusalém, Jeremias conseguia ver, com os olhos da fé, um novo tempo, um dia melhor, das profundezas da tristeza, seus olhos conseguiram enxergar um horizonte distante onde haveria uma nova esperança. Jeremias foi um herói em seu tempo para o seu povo e para todas as  nações





Lição 08 - Jeremias, um profeta chorão ou um herói?


Texto Bíblico: Jeremias 38.1-13

DICAS PARA A CONFECÇÃO DOS FANTOCHES

1.      Prenda um cilindro de papelão da parte de trás dos desenhos, já reforçados também com papelão, para que eles fiquem em pé. Com um tabuleiro de areia, ou na própria mesa, monte um cenário. Você poderá movimentar os bonequinhos como se estivessem andando; narre a história dando vida e interpretação à apresentação.

2.      Utilizando um cilindro menos, você pode adaptar o boneco para ser usado no tabuleiro de areia ou no cenário de dedoches. Caso haja algum elemento suspenso, como no exemplo, pode-se usar uma luva preta ou branca — da mesma cor do fundo do cenário — para dar os movimentos.

Após confeccionados, separe os fantoches que serão utilizados em cada história. E se porventura não tiver bonecos que se identifiquem com o texto, você poderá trocar os personagens, de acordo com a necessidade, como por exemplo: você tem duas bonequinhas e a história tem os nomes de um menino e uma menina — é só trocar o nome do personagem masculino por um nome de menina em todas as falas da história. 

Primários - Lição 08 - Jesus, o amigo que houve a minha oração

Primários
Lição 08 - Jesus, o amigo que houve a minha oração
 Texto Bíblico: Marcos 10.46-52
 Objetivo Demonstrar que Jesus sempre ouve nossa oração.
 Frase do dia... MEU AMIGO JESUS SEMPRE OUVE MINHA ORAÇÃO
 Memória em Ação
“Senhor, escuta o meu grito, ó Senhor! Ouve o meu pedido de socorro.” Sl 130.2






Lição 08 - Jesus, o amigo que ouve minha oração

Texto Bíblico: Marcos 10.46-52

DICAS PARA A CONFECÇÃO DOS FANTOCHES

1.      Prenda um cilindro de papelão da parte de trás dos desenhos, já reforçados também com papelão, para que eles fiquem em pé. Com um tabuleiro de areia, ou na própria mesa, monte um cenário. Você poderá movimentar os bonequinhos como se estivessem andando; narre a história dando vida e interpretação à apresentação.

2.      Utilizando um cilindro menos, você pode adaptar o boneco para ser usado no tabuleiro de areia ou no cenário de dedoches. Caso haja algum elemento suspenso, como no exemplo, pode-se usar uma luva preta ou branca — da mesma cor do fundo do cenário — para dar os movimentos.

Após confeccionados, separe os fantoches que serão utilizados em cada história. E se porventura não tiver bonecos que se identifiquem com o texto, você poderá trocar os personagens, de acordo com a necessidade, como por exemplo: você tem duas bonequinhas e a história tem os nomes de um menino e uma menina — é só trocar o nome do personagem masculino por um nome de menina em todas as falas da história. 


Jardim de Infância - LIÇÃO 08: NA IGREJA DEUS ME ESCUTA

Jardim de Infância 
LIÇÃO 08: NA IGREJA DEUS ME ESCUTA
Texto Bíblico: 1 Samuel 1:9-28
Objetivo da lição: Aprender que Deus escuta e lhe responde onde quer que fale com Ele, mas que Deus se agrada de que venha conversar com Ele em sua casa, a igreja.
Versículo visualizado: 
“...No seu templo ele ouviu a minha voz, ele escutou o meu grito de socorro. 2 Samuel 22.7
Palavra do dia: ESCUTAR




Lição 08 - Na igreja Deus me escuta


Texto Bíblico: 1 Samuel 1.9-28

 I - De professor para professor
· Prezado professor, neste domingo, o objetivo da lição é levar a criança a compreender que Deus ouve as orações.
· A palavra-chave deste domingo é “escutar”. No decorrer da aula diga: “Papai do céu, escuta a minha oração”.

II – Saiba Mais
 “Perceba que não há uma maneira certa específica de orarmos. Portanto, se existem momentos quando a oração verbal pode lhe ajudar a expressar seus desejos, então, ore em voz alta e se regozije em seu coração. Mas também se lembre de que as palavras não são essenciais para o oferecimento da verdadeira oração. Deus ouve o seu coração. Mas também se lembre de que as palavras não são essenciais para o oferecimento da verdadeira oração. Deus ouve o seu coração tanto quanto as palavras dos seus lábios. As palavras nem sempre são um indicador exato dos seus sentimentos verdadeiros, mas o seu coração é. O seu coração revela o seu verdadeiro eu, e é para onde Deus olha (1 Sm 16.7) . É por isso que você deve ‘guardar o seu coração, porque dele procedem as saídas da vida’ (Pv 4.23).
Você pode experimentar momentos quando até mesmo o seu coração não sabe para que orar ou como. É quando o Espírito assume e ‘intercede por nós’ (Rm 8.26).
E haverá momentos quando, assim como Ana, o seu coração estará inundado com pensamentos, desejos, mágoas e até confusão, a ponto que a oração verbal se torna difícil. Nesses períodos, também, você pode orar e permitir que o Espírito lhe ajude em sua fraqueza (Rm 8.26). Afinal, o que é a oração? A oração não é a expressão do desejo sincero do seu coração fluindo para Deus, seja isso falado ou não? O que você gostaria de expressar para Deus nesse exato momento?”
(Texto extraído do livro: Orações Notáveis da Bíblia, pp.43-44. CPAD)

III – Conversando com Professor
Incentive as crianças a fazerem suas próprias orações. Até agora você orava e eles repetiam. Eles precisam ir adiante. Você pode ajudá-los a decidirem sobre o que orar, mas eles também podem escolher pelo que orar. O professor pode alternar à medida que melhoram em fazer suas orações – um domingo um aluno ora, no outro o professor ora.
(Texto adaptado do livro: Ensine Sobre Deus Às Crianças, CPAD)

IV - Boa ideia!
Você vai precisar de imagens de templos evangélicos, cola e cartolina.
Auxilie as crianças na montagem de um painel com as gravuras dos templos. Depois escreva a frase do dia: “Na igreja Deus me ouve”. Explique que atualmente existem vários templos e cada um com um tipo diferente de janelas, pinturas, portas e etc. Mas todos são casas de oração. 

Maternal - Lição 8 - Jesus conta uma história

Maternal 
Lição 8 - Jesus conta uma história
Texto bíblico: Mateus 7.24-27                                   
Objetivo: Que a criança aprenda que  é preciso praticar o que a Palavra de Deus ensina
Para guardar no coração : “...Não sejam apenas ouvintes dessa mensagem, mas a ponham em prática.” Tiago 1.22
Palavra Chave: “PRATICAR’’









Lição 08 - Jesus conta uma história


Texto Bíblico: Mateus 8.24-27

I - De professor para professor
Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é fazer com que as crianças aprendam que é preciso praticar o que a Palavra de Deus ensina.

• Faça uma recapitulação da aula anterior. Pergunte qual foi a palavra-chave estudada e qual o versículo aprendido.
• A palavra-chave da aula de hoje é “PRATICAR”. Então, durante o decorrer da aula repita a frase: “Deus quer que você ponha em prática aquilo que aprendeu”.

II - Para refletir
• “Edificar a casa sobre a rocha significa ser um discípulo que ouve e coloca em prática o que aprendeu, não que age com imprudência e superficialidade. A obediência é o sólido fundamento para que possamos resistir às tempestades da vida.
A maioria das pessoas não busca deliberadamente construir sua vida sobre uma fundação falsa ou material inferior, mas não pensa em um propósito verdadeiro para ela. Muitos se encaminham para a destruição não por teimosia, mas por negligência. Parte de nossa responsabilidade como cristãos é ajudar os outros a parar e pensar em que direção sua vida tem seguido, e indicar as consequências de ignorar e/ou desprezar a mensagem de Cristo”
(Extraído da: Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, CPAD)

• Professor, “as crianças do maternal são curiosas e fazem incontáveis perguntas. Responda todas as perguntas com honestidade. Procure razões por detrás das perguntas. Encoraje-as a pensarem por si mesmas” (Manual de Ensino Para o Educador Cristão).

III - Regras Práticas para os Professores
Professor, a programação eficaz para crianças deve incluir as seguintes diretrizes:

Ensino da sessão total. Do minuto em que a primeira criança entra na sala de aula até que a última saia, tudo o que for ensinado e experimentado deve apontar para os objetivos da lição da Palavra de Deus. A música, os trabalhos manuais, o versículo para memorizar, a história, as atividades e a conversa dirigida devem todos apontar para esses objetivos declarados da lição. Com crianças, em particular as mais pequenas, precisamos ensinar um conceito e ensiná-lo bem. Esta abordagem de conceito único capacita as crianças a assimilar uma verdade da Bíblia e aplicá-la em suas vidas durante a semana.
Grupos grandes e pequenos. O ministério com crianças normalmente tem falta de obreiros. A relação de professor para alunos deve ser 1: 5-6, até crianças de cinco anos, e 1: 8-10 nas classes de crianças mais velhas. Grupos grandes são adequados para atuações bíblicas, momentos de adoração, brincadeiras, etc. Grupos pequenos são apropriados para contar histórias bíblicas, aprender atividades e desenvolver aqueles decisivos relacionamentos entre professor e aluno.
(Extraído e adaptado do livro: Manual de Ensino para o Educador Cristão, CPAD)

IV - Atividade Manual
“Mande as crianças sentar-se em círculo, e coloque no centro uma caixa de camisa cheia de areia. Dê a cada criança um punhado de palitos de picolé, e mostre-lhes como fincá-los na areia da caixa, fazendo uma “paredinha”. Vá orientando-as até que construam um cercado de palitos. Com um pedaço de cartolina dobrado ao meio, faça o telhado da casa. Enquanto estiverem fincando os palitos na areia, vá recordando: Foi assim que o homem tolo construiu a sua casa: na areia. Quando as paredes estiverem prontas, anuncie: Agora só falta por o telhado! E coloque o telhado de cartolina. Ficou bonita a casa da areia, crianças? Mas será ficou forte? Será que agüenta a chuva? Vamos ver! Com o regador, faça “chover” sobre a casa, até alagar a areia e derrubar os palitos. Chiii, a casa caiu! A casa construída na areia fica muito fraca; não agüenta a chuva. A pessoa que ouve a Palavra de Deus mas não faz o que ela manda é como a casa da areia” (Marta Doreto).

Realize as atividades sugeridas na revista do Mestre, página 78.

Caso sobre algum tempo para mais uma atividade, sugira que as crianças encenem a história bíblica.

13 de mai de 2014

Pré-Adolescentes Lição 07: Construindo um abrigo seguro?.

Pré-Adolescentes
Lição 07: Construindo um abrigo seguro?.
Text Bíblico: Mateus 7:21-27.
Objetivos:
Estabelecer as diferenças entre o construtor prudente e o imprudente;
Compreender que não devemos ser apenas ouvintes da Palavra de Deus, mas praticantes.
Versículo visualizado: Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer.” Tiago1.25


Palavra do dia: Alicerce


Lição 07 - Construindo um abrigo seguro

Texto Bíblico:  Mateus 7.21-27

Os verdadeiros seguidores de Jesus não irão apenas ouvir as Suas palavras, mas praticá-las, permitindo que a mensagem faça diferença em sua vida. Nesse ensino, Jesus explicou que o verdadeiro seguidor, que pratica as Suas palavras, é como a pessoa que constrói a sua casa sobre a rocha. Aquele que “constrói sobre a rocha” é um discípulo que ouve e obedece, e não um impostor. Praticar a obediência é construir sobre o sólido alicerce das palavras de Jesus, a fim de enfrentar as tempestades da vida. Mesmo em meio à chuva, à inundação, e aos ventos, o alicerce que estiver sobre a rocha não será afetado.
Em contraste com a pessoa sábia, a pessoa insensata ouve os ensinos de Jesus e o ignora. Embora as duas pessoas tenham construído suas casas e até pareçam idênticas, somente uma suportará o teste. Somente a pessoa que ouve e pratica a vontade de Deus receberá a recompensa. A casa construída sobre a areia irá desabar. Quando vierem as tempestades, a pessoa não terá firmeza, a sua vida se despedaçará, e o fim será uma grande queda – o juízo final, a destruição, e a separação de Deus. Assim como o caráter é revelado pelos frutos, a fé é revelada através das tempestades. A pessoa sábia, que procura agir de acordo com a Palavra de Deus, edifica a sua vida de forma que esta possa suportar qualquer dificuldade ou problema. Será o alicerce, e não a casa, que determinará o que acontecerá no dia do juízo final

Comentário  do Novo Testamento Aplicação Pessoal, pp 421-422. Rio de Janeiro, CPAD



Juniores LIÇÃO 7 – MARDOQUEU, O HERÓI CONSELHEIRO

Juniores
LIÇÃO 7 – MARDOQUEU, O HERÓI CONSELHEIRO
Texto Bíblico: Ester 4.1-17
Objetivo: Explicar o valor do bom conselho – principalmente, os conselhos da Bíblia. Mostrar que devemos buscar conselhos de pessoas que amam a Deus e seguem os seus preceitos.
Exercitando a Memória
“Sem conselhos os planos fracassam, mas com muitos conselheiros há sucesso.” Provérbios  15.22
 Aplicação da Lição
Esta lição nos ensina sobre Serviço prestado à Deus e à Sua Obra. Mardoqueu e Ester serviram a Deus e a Seu povo ao assumirem a responsabilidade de apelar ao rei para poupar a vida dos judeus. Nós também, atualmente, podemos servir a Deus e a Seu povo permanecendo firmes, fazendo o que é correto em todas as circunstâncias. Se obedecermos os conselhos contidos na Palavra de Deus seremos vitoriosos como a rainha Ester e Mardoqueu foram.




Lição 07 - Mardoqueu, o herói conselheiro


Texto Bíblico: Ester 4.1-17

Métodos de Aprendizagem

Jesus é o nosso grande exemplo de Mestre e podemos aprender com ele diversos métodos de aprendizagem criativos e eficazes:

1.      Lições práticas (Jo 4.1-42). Usou a conhecidíssima água para ajudar a mulher samaritana a entender a desconhecida “água da vida”.

2.      Pontos de contato (Jo 1.35-51). Servia-se de oportunidades para construir relacionamentos com pessoas: André, João, Pedro, Filipe e Natanael.

3.      Alvos (Jo 4.34). Para colocar as pessoas em ação.

4.      Solucionando problemas (Mc 10.17-22). Para fazer com que as pessoas entendessem e aplicassem as suas palavras.

5.       Conversas (Mc 10.27). Para levar as pessoas à obediência.

6.       Perguntas. De acordo com os registros dos evangelhos, Jesus fez mais de 100 perguntas com a finalidade de compelir as pessoas a pensar e buscar a verdade.

7.      Respostas. Jesus usou Suas respostas visando mover as pessoas de onde elas estavam para onde elas precisavam estar, a fim de que crescessem espiritualmente. Ele encorajava as pessoas a descobrir a verdade.

8.      Sermões (Mt 5—7; Jo 14—17). Jesus fez uso de sermões para instruir e convencer as pessoas sobre a verdade.

9.       Parábolas (Jo 10.1-21; 15.1-10). Jesus ensinava ilustrando a verdade espiritual com situações comuns.

10.   As Escrituras. Jesus citava extensivamente o Antigo Testamento para ensinar a verdade de Deus às pessoas.

11.  O momento susceptível de ensino (Jo 4.5-26). Jesus aproveitava toda oportunidade para tornar uma situação corriqueira numa situação “de ensino”.

12.   Contraste (Mt 5.21,22,33,34,38,39,43,44). Jesus contrastava Seu Reino com os padrões deste mundo, dando ao ouvinte a escolha pela obediência.

13.  Exemplos concretos e literais (Mt 6.26-34). Jesus empregava o concreto para ensinar verdades abstratas como confiança, grandeza, hospitalidade, discipulado etc.

14.  Símbolos (Mt 26.17-30; Jo 13.1-20). Jesus servia-se de símbolos, como a Páscoa antes de Sua morte e o lavar os pés dos discípulos, para ensinar grandes lições.

15.  Grandes e pequenos grupos (Mt 5—7; Jo 14—17). Jesus ensinava grandes (multidões) e pequenos grupos (os discípulos).

16.  Oportunidades de ensino individual (Jo 3.1-21; 4.5-26). Jesus tomava a iniciativa de impressionar indivíduos, ajudando-os a entender quem Ele era e o que ia fazer.

17.   Exemplo (Mt 15.32; Lc 18.15-17). Jesus, o Mestre em ensinar, era a Verdade e modelou o que significava ser um Homem que amava o Deus Pai.

18.   Motivação (Mt 16.24-27; 20.21-28; Mc 1.16-18). Jesus motivava seus seguidores à ação. Ele suscitava uma resposta do interior das pessoas para a santidade e obediência ao Pai.

19.   Impressão e expressão (Mt 4.19,20; 7.20). Jesus usou a Si mesmo para impressionar e motivar seus seguidores a agir e obedecer. Ele era Deus feito carne, não obstante, ajudou seus discípulos a decidirem por si mesmos.

20.   Ele mesmo (Mt 28.19,20). Jesus possuía as qualidades de um grande mestre: visão global, entendimento do homem, domínio de todo o conhecimento, capacidade de ensinar e uma vida que era exemplo para aqueles a quem ensinava.

(Manual de Ensino para o Educador Cristão. CPAD. p.189-191)

Primários LIÇÃO 7 – JESUS O AMIGO DOS QUE CHORAM

Primários
LIÇÃO 7 – JESUS O AMIGO DOS QUE CHORAM
 Texto Bíblico: João 11.1-44
 Objetivo : Conscientizar o aluno de que  o nosso amigo Jesus é poderoso para realizar milagres.
 Frase do dia.. MEU AMIGO JESUS É MUITO  PODEROSO!
 Memória em Ação: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre.” Hb 13.8





·                           Lição 07 - Jesus, o amigo dos que choram


Texto Bíblico: João 11.1-44

Métodos de Aprendizagem

Jesus é o nosso grande exemplo de Mestre e podemos aprender com ele diversos métodos de aprendizagem criativos e eficazes:

1.   Lições práticas (Jo 4.1-42). Usou a conhecidíssima água para ajudar a mulher samaritana a entender a desconhecida “água da vida”.

2.   Pontos de contato (Jo 1.35-51). Servia-se de oportunidades para construir relacionamentos com pessoas: André, João, Pedro, Filipe e Natanael.

3.   Alvos (Jo 4.34). Para colocar as pessoas em ação.

4.   Solucionando problemas (Mc 10.17-22). Para fazer com que as pessoas entendessem e aplicassem as suas palavras.

5.   Conversas (Mc 10.27). Para levar as pessoas à obediência.

6.   Perguntas. De acordo com os registros dos evangelhos, Jesus fez mais de 100 perguntas com a finalidade de compelir as pessoas a pensar e buscar a verdade.

7.   Respostas. Jesus usou Suas respostas visando mover as pessoas de onde elas estavam para onde elas precisavam estar, a fim de que crescessem espiritualmente. Ele encorajava as pessoas a descobrir a verdade.

8.   Sermões (Mt 5—7; Jo 14—17). Jesus fez uso de sermões para instruir e convencer as pessoas sobre a verdade.

9.    Parábolas (Jo 10.1-21; 15.1-10). Jesus ensinava ilustrando a verdade espiritual com situações comuns.

10.   As Escrituras. Jesus citava extensivamente o Antigo Testamento para ensinar a verdade de Deus às pessoas.

11.  O momento susceptível de ensino (Jo 4.5-26). Jesus aproveitava toda oportunidade para tornar uma situação corriqueira numa situação “de ensino”.

12.   Contraste (Mt 5.21,22,33,34,38,39,43,44). Jesus contrastava Seu Reino com os padrões deste mundo, dando ao ouvinte a escolha pela obediência.

13.  Exemplos concretos e literais (Mt 6.26-34). Jesus empregava o concreto para ensinar verdades abstratas como confiança, grandeza, hospitalidade, discipulado etc.

14.  Símbolos (Mt 26.17-30; Jo 13.1-20). Jesus servia-se de símbolos, como a Páscoa antes de Sua morte e o lavar os pés dos discípulos, para ensinar grandes lições.

15.  Grandes e pequenos grupos (Mt 5—7; Jo 14—17). Jesus ensinava grandes (multidões) e pequenos grupos (os discípulos).

16.  Oportunidades de ensino individual (Jo 3.1-21; 4.5-26). Jesus tomava a iniciativa de impressionar indivíduos, ajudando-os a entender quem Ele era e o que ia fazer.

17.   Exemplo (Mt 15.32; Lc 18.15-17). Jesus, o Mestre em ensinar, era a Verdade e modelou o que significava ser um Homem que amava o Deus Pai.

18.   Motivação (Mt 16.24-27; 20.21-28; Mc 1.16-18). Jesus motivava seus seguidores à ação. Ele suscitava uma resposta do interior das pessoas para a santidade e obediência ao Pai.

19.  Impressão e expressão (Mt 4.19,20; 7.20). Jesus usou a Si mesmo para impressionar e motivar seus seguidores a agir e obedecer. Ele era Deus feito carne, não obstante, ajudou seus discípulos a decidirem por si mesmos.

20.   Ele mesmo (Mt 28.19,20). Jesus possuía as qualidades de um grande mestre: visão global, entendimento do homem, domínio de todo o conhecimento, capacidade de ensinar e uma vida que era exemplo para aqueles a quem ensinava.

(Manual de Ensino para o Educador Cristão. CPAD. p.189-191)


Jardim de Infância Lição 7: Na igreja eu falo com Deus

Jardim de Infância 
Lição 7: Na igreja eu falo com Deus
Texto bíblico:2 Reis 18:13-19 e 37.
Objetivo da Lição:Ensinar que Deus fica contente quando ela vem a casa DEle para conversar.
Versículo visualizado: “...A minha casa será chamada de “Casa de Oração”...” Mateus 21.13
Palavra do dia: ORAR






Lição 07 - Na igreja eu falo com Deus

Texto Bíblico: 2 Reis 18.13-19.37

I - De professor para professor
Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é fazer com que as crianças aprendam que podemos falar com Deus na igreja.

• Faça uma recapitulação da aula anterior. Pergunte qual foi a palavra-chave estudada e qual o versículo aprendido.
• A palavra-chave da aula de hoje é “ORAR”. Então, durante o decorrer da aula repita a frase: “Deus fica contente quando oramos em sua Casa.”

II - Para refletir
• “Senaqueribe, cujas tropas haviam conquistado as cidades fortificadas por Judá, enviou uma mensagem a Ezequias, para que este se entregasse, dizendo que seria inútil resistir. Percebendo que não havia esperança com seu poderio militar, Ezequias  foi ao templo e orou. Ele sabia que Deus é especialista em resolver situações humanamente impossíveis. Deus respondeu à sua oração e livrou Judá, enviando um exército para atacar a capital assíria, forçando Senaqueribe a partir imediatamente. A oração deve ser a nossa primeira reação diante de qualquer crise. Nossos problemas são oportunidades para Deus agir em nossa vida”.
(Extraído da: Bíblia do Estudante Aplicação Pessoal, CPAD)

• Professor, “as crianças do jardim são extremamente sociáveis e cada vez mais comunicativas. Promova a expressão dos próprios sentimentos e ideias delas, e oportunidades sociáveis” (Manual de Ensino para o Educador Cristão).

III - Regras Práticas para os Professores
Professor, a programação eficaz para a criança do jardim deve incluir as seguintes diretrizes:

• Envolvimento ativo. As crianças aprendem melhor fazendo — usando todos os cinco sentidos. Aprender requerer o envolvimento ativo na lição. As crianças envolvidas em fazer suas próprias descobertas experimentam maior retenção. A participação conduz a mudanças de atitude que, por sua vez, motivam os alunos a aplicar a Bíblia em suas vidas.

• Aplicação na vida. É essencial aos professores e pais que ensinem visando a aplicação dos ensinos na vida dos alunos. Tiago 1.22 diz: “Sede cumpridores da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos”. Através da conversa dirigida e do envolvimento ativo no processo de aprendizagem, a Palavra de Deus pode ser colocada em ação na vida de nossas crianças e alunos.

(Extraído e adaptado do livro: Manual de Ensino para o Educador Cristão, CPAD)

IV - Atividade
“Os alunos farão, juntos, um “Cantinho de Oração”. Providencie antecipadamente uma figura de alguém orando, ou de um par de mãos postas, e dê para alguns alunos colorir. Outro grupo de alunos fará o letreiro “Cantinho de Oração”, numa tira de cartolina. Um terceiro grupo colará o letreiro e a figura numa folha de isopor ou cortiça. Pronto, está feito o “Cantinho de Oração”. Agora distribua pequenos pedaços de papel, onde cada um escreverá uma oração ou fará um desenho representando a sua súplica. Diga que, assim como Ezequias apresentou a carta a Deus no templo, eles também apresentar-lhe-ão os seus pedidos. Podem orar segurando-os nas mãos levantadas, e depois você os fixa com alfinetes no “Cantinho de Oração”. Nos próximos domingos, volte a orar por estes e por novos pedidos, lembrando de agradecer a Deus à medida que forem respondidos” (Marta Doreto).


Maternal Lição 07: Jesus ressuscita a menina.

Maternal 
Lição 07: Jesus ressuscita a menina.
Texto bíblico: Marcos 5:22-24
Objetivo: Que a criança aprenda que Jesus é poderoso até para ressuscitar os mortos.
Para guardar no coração : “Jesus afirmou: Eu sou a Ressurreição e a vida...” João 11:25
Palavra Chave: RESSUSCITAR







·                           Lição 07 - Jesus ressuscita a menina


Texto Bíblico: Marcos 5.22-24

I - De professor para professor
Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é fazer com que as crianças aprendam que Jesus é poderoso para ressuscitar os mortos.

• Faça uma recapitulação da aula anterior. Pergunte qual foi a palavra-chave estudada e qual o versículo aprendido.
• A palavra-chave da aula de hoje é “RESSUSCITAR”. Então, durante o decorrer da aula repita a frase: “Jesus tem poder para ressuscitar os mortos”.

II - Para refletir
• “A crise de Jairo deixou-o confuso, temeroso e sem esperança. As palavras de Jesus a Jairo naquele momento difícil também servem para nós: ‘Não temas, crê somente’. Na presença de Jesus há esperança e promessas. A próxima vez que sentir-se desesperançado e temeroso, procure analisar seu problema do ponto de vista de Jesus. Ele é a fonte de toda esperança e de todas as promessas”
(Extraído da: Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, CPAD)

• Professor, “os sentidos são o principal meio de aprendizagem do aluno do maternal, especialmente a visão; através da visão a criança aprende mais que pelos outros sentidos. Por isso a aula deve ser rica em visuais” (Marta Doreto).

III - Regras Práticas para os Professores
Professor, a programação eficaz para crianças deve incluir as seguintes diretrizes:

• Conversa dirigida. A conversa dirigida é informal, mas o diálogo planejado pode ocorrer durante as atividades de aprendizagem, adoração ou a qualquer hora. Este método transmite atitudes junto com o conteúdo bíblico.

• Escolhas. Permitir que as crianças escolham as atividades ajuda-as a pensar com independência, a ter motivação e a se interessar por aquela atividade de aprendizagem. Quando todas as atividades da sala de aula apontam para o mesmo alvo da Palavra de Deus, a criança pode escolher alguma atividade e ainda aprender o conteúdo bíblico, as atitudes corretas e a aplicação para a vida diária. Nem todas as crianças aprendem da mesma maneira. Algumas apreciam o desafio de uma procura no dicionário bíblico em preparação para a lição. Outras gostam de atividades manuais. Outras ainda dão se bem usando um jogo da memória para aprender o versículo para a lição. Oferecer opções permite que as crianças tenham a liberdade de aprender.
(Extraído e adaptado do livro: Manual de Ensino para o Educador Cristão, CPAD)

IV - Atividade Manual
Realize as atividades sugeridas na revista do Mestre, página 75.

Caso sobre algum tempo para mais uma atividade, sugira que as crianças encenem a história bíblica. 

5 de mai de 2014

Pré-Adolescentes - Lição 06: A moeda perdida

Pré-Adolescentes
Lição 06: A moeda perdida
Texto bíblico: Lucas 15:1,2,8-10
Objetivos da lição: compreender que Jesus veio para salvar a todos. Explicar o significado da parábola.
Versículo para memorizar: “ Porque o filho do homem veio buscar e salvar quem está perdido.” Lucas 19.10
Palavra do dia: LUZ






·                           Lição 06 - A moeda perdida

Texto Bíblico:  Lucas 15.1,2,8-10

Nesta parábola (Moeda perdida), Jesus retrata o amor de Deus por alguém que cai numa vida de pecado. Eles estão perdidos, separados do seu verdadeiro dono, que é o próprio Deus. Mas o dono das pessoas não desiste delas. Ao contrário, Ele procura misericordiosamente por elas, oferecendo-lhes livremente o perdão por meio do seu filho, Jesus Cristo.
As mulheres da Palestina recebiam 10 dracmas como presente de casamento. Além do seu valor monetário, estas moedas tinham um valor sentimental semelhante ao de uma aliança; perder uma delas seria extremamente aflitivo. As dez moedas poderiam ter sido as economias desta mulher, destinadas a sustentá-la numa época de necessidade. Ao descobrir que estava faltando uma moeda, a mulher ascendeu a candeia para ver os cantos escuros e varrer a cada parte da poeira do chão, na esperança de encontrá-la. Embora a mulher ainda tivesse nove moedas, ela não descansaria até que a décima fosse recuperada. A sua procura foi recompensada. Como o pastor, ela compartilhou a sua alegria com suas amigas e vizinhas para que se alegrassem com ela.
Da mesma maneira como um pastor se alegraria por encontrar uma ovelha perdida, e uma mulher se alegraria por encontrar sua moeda perdida, também todo céu se alegra com um pecador que se arrepende. Cada indivíduo é precioso para Deus. Ele procura ativamente os perdidos, e quando são encontrados, há alegria diante dos anjos de Deus. Por meio desta parábola, Jesus estava explicando aos seus caluniadores que, embora eles não estivessem contentes com Ele, Deus estava contente porque Jesus estava procurando as almas perdidas e trazendo a elas as Boas Novas do reino.

Comentário  do Novo Testamento Aplicação Pessoal, pp 421-422. Rio de Janeiro, CPAD



Juniores - LIÇÃO 6 – NEEMIAS, UM HERÓI QUE NÃO OLHOU PARA TRÁS

Juniores
LIÇÃO 6 – NEEMIAS, UM HERÓI QUE NÃO OLHOU PARA TRÁS
Texto Bíblico: Ne 6.1-9,15.
Objetivo
Demonstrar que é necessário ser perseverante  para servir a Deus; Enfatizar que é essencial haver união entre os irmãos, a fim de que a obra de Deus seja realizada.
Exercitando a Memória
“Quem começa a arar a terra e olha para trás não serve para o Reino de Deus.”  Lucas 9.62
Aplicação da Lição
Enfatize aos pequenos sobre a fiel perseverança de Neemias. Ele não aceitou o convite de ir até o vale de Ono para consultar Sambalate e Tobias. O vale de Ono foi escolhido, pois parece ser um território neutro; os judeus e os vizinhos daquela área viviam em paz. Mas Neemias percebe um certo cheiro de armadilha. Ele sabe até onde os seus inimigos iriam para impedir a construção do muro. Mas Neemias não os acusa de nenhum má intenção. Ele simplesmente diz: estou ocupado! Eu estou trabalhando em um grande projeto e não tenho tempo e oportunidade para conversar. Esta obra vem primeiro! Ela é prioritária.





·                           Lição 06 - Um Herói que não olhou para trás


Texto Bíblico: Neemias 6.1-9,15

Desde o começo, os esforços de Neemias para reconstruir os muros de Jerusalém encontraram oposição. Seus inimigos eram Sambalate, o horonita; Tobias, o amonita e Gesém, o árabe. Esses homens tentaram tudo para atrasar ou parar a obra. Eles debocharam de Neemias  e  seus construtores, acusaram de Neemias e seus construtores,acusaram os judeus de traição e até ameaçaram com violência física.
Neemias recebeu cada ataque verbal com paciência e oração. Então quando ouviu rumores de um iminente ataque militar, Neemias não apenas orou, mas preparou-se para a ação – colocando guardas e armando seus trabalhadores. Frequentemente os trabalhadores terminavam suas tarefas com uma mão, enquanto com outra seguravam a arma.
A reação de Neemias é um grande exemplo para nós. A oração deve ser a primeira coisa a fazer quando enfrentarmos problemas; todavia, não é a única ação requerida por nós. Deus espera que façamos o que pudermos.
Professor talvez você ou seus alunos estejam passando por situações difíceis. Não desanimem! Orem! A vida cristã é um empreendimento em dupla. Deus trabalha em nós; todavia, ao mesmo tempo, Ele espera que desenvolvamos um vida de confiança nEle
(Texto adaptado do livro: 365 Lições de Vida Extraídas de Personagens da Bíblia)

Primários - LIÇÃO 6 – JESUS, O AMIGO DOS MEDROSOS

Primários
LIÇÃO 6 – JESUS, O AMIGO DOS MEDROSOS
Texto Bíblico: Mateus 14.22-33.
Objetivo: Enfatizar que devemos confiar em nosso amigo Jesus, pois Ele está sempre perto para nos ajudar.
Frase do dia...EU CONFIO NO MEU AMIGO JESUS

Para melhor memorização dos pequenos use uma canção.
EU TENHO UM AMIGO QUE ME AMA
Eu tenho um amigo que me ama, que me ama, que me ama!
Eu tenho um amigo que me ama! Seu nome é Jesus.
Que me ama, que me ama, que me ama, com eterno amor.
Que me ama, que me ama, que me ama, com eterno amor.

  Memória em Ação
“Se o caminho em que andam é escuro, sem nenhum raio de luz, confiem no SENHOR, ponham a sua esperança no seu Deus” Isaias 50.10









·                           Lição 06 - Jesus, o amigo dos medrosos


Texto Bíblico: Mateus 14.22-33

Os discípulos estavam lutando contra o golpe das ondas. Quando de repente, em meio à névoa que antecede o amanhecer, Jesus veio caminhando sobre as águas, em sua direção. Eles reagiram com medo, imaginando que estivessem vendo um fantasma. Uma vez mais, Jesus estava fazendo o inesperado e o impossível. Uma vez mais, os discípulos não estavam prontos para entender o que isso significava.
Jesus falou com os discípulos, mais alto do que a tempestade, dizendo-lhes: “Não temais”.
Pedro não estava colocando Jesus à prova, algo que nós sabemos que não devemos fazer. Em lugar disso, ele foi o único do barco que reagiu com fé. A presença de Jesus na tempestade levou Pedro a sentir uma fé destemida. Todavia que ele o fez somente depois da ordem de Jesus: vem.
Pedro começou a ir para o fundo porque tirou os olhos de Jesus e se preocupou com as altas ondas que estavam ao seu redor. A sua fé era suficientemente forte para que confiasse que poderia caminhar sobre as águas. Entretanto ele se deu conta de que estava em meio a uma terrível tempestade, a sua fé diminuiu.
Embora comecemos com boas intenções, algumas vezes nossa fé é fraca. Na fé vacilante de Pedro, podemos ver o caminho do discipulado. Temos que exercer a fé para obter poder, porém, frequentemente  tropeçamos e deixamos de agarrá-lo plenamente. Quando a fé de Pedro vacilou, ele se voltou para Cristo, o único que poderia ajudá-lo. Quando você estiver apreensivo sobre os problemas a sua volta, e duvidar da presença de Cristo, ou da sua capacidade para ajudá-lo, lembre-se de olhar para Jesus

(Texto extraído do: Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal, pp. 95-96. Vl 1 Rio de Janeiro: CPAD)

Boa ideia!
Entregue as crianças uma folha de papel ofício e solicite que escrevam nela os seus medos.
Depois monte um barquinho de papel com a folha e escreva o nome de Jesus no barco. Explique as crianças que, se Cristo estiver em nosso “barquinho” (vida), estamos seguros.

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...